04/04/2022 às 11h49min - Atualizada em 04/04/2022 às 11h49min

Há 55 anos, policiais militares mineiros e capixabas, capturavam os últimos 8 guerrilheiros que se encontravam na Serra do Caparaó

História

 

Há exatos 55 anos, no dia 03/04/1967, policiais militares mineiros e capixabas, capturavam os últimos 8 guerrilheiros que se encontravam na Serra do Caparaó.

Ao todo, vieram 14 guerrilheiros armados para a região. Eles integravam o MNR (Movimento Nacional Revolucionário), que era  apoiado por Leonel Brizola e Fidel Castro. 

A intenção dos guerrilheiros, era instalar na Serra do Caparaó, uma base para arquitetar atos contra o regime militar que estava em curso no Brasil, que durou de 1964 à 1985. Eles consideravam a serra do Caparaó uma posição estratégica, por sua proximidade com as capitais Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Vitória, principalmente pela vantagem de ter acesso pela Ferrovia Leopoldina que passava por aqui.

A idéia era praticar atos de guerrilha e retornar escondidos no trem, até chegar em Caparáo MG, onde se refugiariam e planejariam novas ações. Eles chegaram por aqui, no final de 1966. Compravam mantimentos sempre pagando à vista nas mercearias de Alto Caparaó e praticaram assaltos à agência do Banco do Brasil em Espera Feliz MG. Alegando posteriormente, que o dinheiro era para a causa que eles defendiam.

No entanto, ao contrário do ocorrido em Cuba, a população local (Alto Caparaó MG e Caparaó MG) não aderiu, e, em sua grande maioria, nem compreendia a presença daquelas pessoas estranhas circulando a região. A população observava, que os guerrilheiros levantavam muitas suspeitas, quando eles passaram a comprar sempre os mesmos remédios nas farmácias, dando entender, que havia alguém ferido com eles. Além disso, eles andavam sempre mal vestidos, sujos, andavam com a barba por fazer e eram de poucas conversas.


Após uma denúncia anônima, a polícia mineira fez contato com Exército e o cerco foi feito. O Exército já suspeitava que era o bando de Brizola que eles procuravam. Na época, toda a região ficou impressionada com a movimentação de Jeeps do Exército e aeronaves que sobrevoaram a região, até a apreensão acontecer.


Os mais antigos dizem que presenciaram ali cenas de filme. Com suspeita de que alguns poderiam estar com pneumonia, diante das condições que a serra oferecia, com frio intenso, o Comandante da época solicitou o comparecimento do Médico Dr. Michel Hannas para avaliar as condições dos presos.


Foi nesse momento em que a foto foi registrada. Em seguida, eles foram conduzidos por militares para o presídio de Juiz de Fora MG. No filme "A Guerrilha do Caparaó" existem relatos, que os guerrilheiros passaram graxa nas armas e as esconderam em algum lugar no Parque Nacional do Caparaó, caso acontecesse um confronto com Exército, eles estavam dispostos a combater. Mas como foram presos, essas armas nunca mais foram encontradas e podem sim, estarem enterradas até hoje.

 

Assista o documentário sobre "A Guerrilha do Caparaó"  https://youtu.be/_kmFrku0YPk e assista o contexto num todo, no documentário "1964: Brasil entre Armas e Livros"  https://youtu.be/yTenWQHRPIg e conheça essa parte da história do Brasil.

 

Vale lembrar, que o documentário da guerrilha, foi pago e incentivado pela Ancine e Petrobrás, sendo pago com dinheiro público, contando apenas a versão dos guerrilheiros. Já o documentário "1964 Brasil entre Armas e Livros", foi uma produção independente do canal Brasil Paralelo.


Fonte: Éocombatente


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »