22/03/2022 às 16h14min - Atualizada em 22/03/2022 às 16h14min

Golpe do falso funcionário bancário ganha força em MG

Saiba como se prevenir

Um golpe relativamente novo vem ganhando força em Minas Gerais nos últimos dias. Somente nas últimas duas semanas, foram pelo menos três casos registrados pela polícia no Estado em que criminosos se passam por atendentes de banco e questionam a vítima sobre uma suposta compra realizada em outra cidade para, depois, conseguirem os dados pessoais. 


Após ocorrer em Ipatinga e em Coronel Fabriciano há cerca de 14 dias, o novo caso foi registrado em Araxá, nessa segunda-feira (12). 

Na cidade do Alto Paranaíba, o homem de 49 anos relatou aos policiais que recebeu uma ligação de
um número com o DDD 048 de um suposto atendente perguntando sobre uma compra na cidade de Poços de Caldas no valor de R$ 1.800. Diante da negativa, o criminoso passou para a vítima um número de protocolo. Instantes depois, ele voltou a receber uma ligação de alguém se passando por um representante do banco Itaú, que tinha conhecimento de seus dados, "sendo a vítima induzida a crer que realmente o contato era do banco".


De acordo com o boletim de ocorrência, o suposto funcionário do banco pediu para que a vítima digitasse a senha pelo telefone e logo após, pediu para entrar pelo celular no aplicativo bancário, deixando-o aberto por três minutos alegando que estaria fazendo um boletim de ocorrência com a Polícia Civil. Nesse momento a vítima percebeu se tratar de um golpe, sendo que foi retirado de sua conta o valor de R$2.800 e procurou a agência para verificação e confirmação.

 


Febraban alerta clientes

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) tem uma página antifraudes em que lista os principais golpes aplicados em nome de instituições financeiras. O "golpe da falsa central de atendimento", como é chamado, está no topo da lista da instituição. 


De acordo com a federação, o fraudador entra em contato com a vítima se passando por um falso funcionário do banco ou empresa com a qual ela tem um relacionamento ativo.

O criminoso informa que sua conta foi invadida, clonada ou outro problema e, a partir daí, solicita os dados pessoais e financeiros da vítima. Ele pode também pedir para que ela ligue na central do banco, no número que aparece atrás do seu cartão, mas o fraudador continua na linha para simular o atendimento da central e pedir os dados da sua conta, dos seus cartões e, principalmente, a sua senha quando você a digitar.


Para evitar cair nesse golpe, a Febraban sugere que o cliente desconfie caso receba esse tipo de contato, desligue e entre em contato com a instituição através dos canais oficiais, de preferência usando o celular ou aplicativos móveis, para saber se algo aconteceu mesmo com sua conta. A federação alerta ainda que o banco nunca liga para o cliente pedindo senha nem o número do cartão e também nunca liga para pedir para realizar uma transferência ou qualquer tipo de pagamento.



Outro golpe


Também em Araxá, nessa segunda-feira, uma mulher de 41 anos procurou a polícia após receber um SMS informando que teve um benefício liberado e para conseguir acesso, deveria entrar em contato em um número até as 18h ou perderia o valor. 


Ao entrar em contato, a vítima foi informada que teria uma dívida em seu nome, sendo solicitados vários dados. Após repassar os dados pessoais, ela entrou no aplicativo do banco e sua senha já não estava mais funcionando. Ao tirar o extrato da conta percebeu que foram realizados vários saques que somam aproximadamente R$311, vindo a constatar ter sido vítima de um golpe.

O Tempo

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »