22/02/2022 às 16h37min - Atualizada em 22/02/2022 às 16h37min

Facebook adota Reels e traz mais funções inspiradas no TikTok

Contra-ataque ao Tiktok

Dobrando a aposta em vídeos, o Facebook lança nesta terça-feira, 22, mais recursos para os Reels, plataforma de clipes curtos e viralizáveis inspirados no chinês TikTok e já utilizada no Instagram.

Junto com isso, novas formas de monetização estão sendo lançadas para criadores de conteúdo.

Entre as novidades, será possível fazer "remixes" com outros vídeos publicados, permitindo que sejam replicados conteúdos modificados de outros usuários. Além disso, os reels poderão ser de até 60 segundos, técnica já utilizada pelo TikTok para atrair mais anunciantes na plataforma — quanto mais longos os vídeos, maiores as chances de monetização.


O Facebook também irá permitir que usuários salvem vídeos como rascunhos antes de publicá-los, armazenando o material na própria conta. Atualmente, a plataforma desenvolve um recurso de clipagem, em que os criadores poderão fazer recortes e testar diferentes formatos — a previsão de lançamento desta função, porém, é "nos próximos meses". Essas funcionalidades já estão disponíveis no chinês TikTok.


Ainda, os Reels, que estão disponíveis em 150 países no mundo hoje, poderão ser assistidos e compartilhados nos Stories (de fotos autodeletáveis, inspirado no Snapchat), na aba Assistir, no topo do feed de notícias e, também similar ao TikTok, com sugestões de novos conteúdos para usuários no topo da tela.
 
 

Monetização

Buscando maneiras de convencer usuários a permanecer na plataforma, a Meta pretende ampliar o programa de bônus a criadores de conteúdo para mais países, sem revelar quais devem ser as próximas regiões escolhidas.

Atualmente, a companhia desembolsou US$ 1 bilhão para bonificar em até US$ 35 mil determinados influenciadores a partir do número de visualizações e engajamento na plataforma.

Além disso, anúncios com sobreposição em Reels também estarão disponíveis, com testes começando na América do Norte e chegando a mais países nas semanas seguintes. Será possível encontrar banners e figurinhas de marcas nos vídeos, ajudando a monetizar o conteúdo. "Esses anúncios sem interrupções permitem que os criadores ganhem uma parte da receita gerada pelo anúncio", diz a empresa.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »