21/01/2022 às 13h15min - Atualizada em 21/01/2022 às 13h15min

Guaçuí retira mais de 400 toneladas de lixo da natureza em 2021

Gestão da reciclagem

 

Guaçuí é destaque na gestão da reciclagem de resíduos e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmam) comemorou os resultados da coleta seletiva já estabelecida algum tempo no município. A meta para 2021 era de 400 toneladas, mas o ano foi encerrado com 428 mil quilos, considerado um recorde na história local.

 

O secretário de Meio Ambiente Roberto Martins destaca o trabalho contínuo de educação ambiental e as campanhas e subprojetos promovidos pela Semmam visando o fortalecimento da reciclagem, sensibilização e envolvimento da população, como um dos principais fatores para o alcance desse recorde.

 

“Com a reciclagem quanto de resíduos deixaram de ir para o aterro sanitário? Gerando renda para os membros da associação de catadores, proporcionando economia para o município e cumprindo o papel ambiental”. Martins agradeceu também toda a equipe envolvida e o apoio da população que entendeu que a coleta seletiva começa em casa com a separação e destinação correta dos resíduos.

 

Guaçuí está se consolidando a cada ano na reciclagem de resíduos. Após a inclusão da reciclagem do vidro e óleo de cozinha usado no ano de 2021, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmam) ultrapassou a meta anual de 400 toneladas, quando ao final de dezembro, os dados totalizavam 428, um recorde na história local.

 

Prova disso é que o município já recebeu equipes de outros municípios que vieram conhecer detalhes do projeto como: Itaperuna-RJ, Varre Sai-MG, Alegre, Afonso Cláudio, Muniz Freire, Bom Jesus do Norte, Castelo, e em reunião virtual as equipes de Camanducaia-MG e Acrelândia no Estado do Acre que recebeu um documento detalhado do projeto com mais de 100 páginas. Está ainda pré-agendada as visitas das equipes de Cachoeiro de Itapemirim, Apiacá e Itapemirim.

 

A Semmam destaca que a reciclagem reduz, de forma significativa, o impacto sobre o meio ambiente, diminuindo a retirada de matéria-prima da natureza, gerando economia de água e energia e reduzindo a disposição inadequada do lixo. Além disso, é fonte de renda para os catadores que, antes de 2015, viviam do que conseguiam coletar do antigo lixão que foi extinto pelo município, conforme determina a legislação.

 

Importante lembrar que no ano de 2021, a Semmam deu início a importante ação da reciclagem inédita do vidro na região do Caparaó e a coleta e reciclagem do óleo de cozinha usado, criando a campanha “Recicla Guaçuí”, os subprojetos que incentivam e reforçam a reciclagem “Eu Reciclo e Troca Sustentável”, além do apoio ao “Projeto Circulatas”.

 

Segundo a última pesquisa Nacional de Saneamento Básico, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são recolhidas, no Brasil, cerca de 180 mil toneladas diárias de resíduos sólidos. Mais da metade desses resíduos é descartada, sem qualquer tratamento, em lixões a céu aberto.

 

Com isso, o prejuízo econômico passa dos R$ 8 bilhões anuais. Conforme o Ministério do Meio Ambiente, apenas 18% das cidades brasileiras contam com o serviço de coleta seletiva e Guaçuí está entre elas, sendo destaque na região.

90,5FM

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »