22/12/2021 às 09h35min - Atualizada em 22/12/2021 às 09h35min

Agricultores se unem e apostam na produção de flores no Caparaó

Caparaó Capixaba

O mercado de flores está crescendo no Espírito Santo. E para auxiliar o agricultor que aposta nessa cultura nasceu a Associação de Produtores de Flores de Guaçuí, conhecida como Sulcaflor. A entidade, que atende a toda a região do Caparaó, surgiu em 2016, por meio de um grupo de agricultores que decidiu se unir e apostar no segmento.


“A ideia da associação surgiu para que tivéssemos acesso facilitado aos recursos, conhecimentos, assistência e viagens técnicas. Uma união que só ajuda os agricultores”, avalia o coordenador da associação, Clenilson Barbosa.


Em 2020, eles conseguiram um ponto físico para os associados venderem as flores e, em meados deste mês, começaram a trabalhar no local, que fica no bairro Palmeiras, em Guaçuí.


Na área há variados tipos de flores. Há folhagens, forrageiras, flores de vasos, plantas ornamentais e flores tropicais. De acordo com coordenador, são mais de 200 espécies.


Barbosa, que está na função há três anos, desde do começo em 2016 que faz parte dos associados e há 30 anos que trabalha no mercado das flores. “Antes da associação, eu já trabalhava com flores. Depois que entrei, fui adquirindo mais conhecimentos e mais técnicas. Hoje trabalhar com flores é a minha renda principal”, contou.


Além dele, são mais 17 agricultores que fazem parte do grupo e cada um trabalha com um tipo ou mais de flores. Elas são colhidas nas propriedades e levadas para serem comercializadas na associação.


Marcos Emílio é um dos que fazem parte da associação desde o início. O agricultor mora no interior de Guaçuí e, atualmente, trabalha com a planta sampati, conhecida como “beijinho de sol”. Ele é um dos únicos a plantar essa espécie em todo o Espírito Santo, e tem o orgulho de fazer parte da associação.


“A Sulcaflor transformou tudo para mim. Com ela, a gente teve um apoio maior e hoje vem mostrando uma diferença nas vidas dos agricultores”, afirmou Emílio.


A cada venda na Sulcaflor, 30% ficam na associação e os outros 70% ficam com o produtor. No local de venda das plantas, há uma pessoa que fica responsável por atender os clientes e visitantes, além de cuidar para que as flores permaneçam sempre lindas e irrigadas.


Conexão Safra


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »