25/06/2021 às 12h31min - Atualizada em 25/06/2021 às 12h31min

Professores da UEMG - unidade de Carangola, escreveram uma carta sobre a volta às aulas presenciais

Professores da UEMG - unidade de Carangola, escreveram uma carta sobre a volta às aulas presenciais da educação básica.

 

A carta foi escrita e assinada por doutores de diversas áreas do saber e atualmente são professores da Universidade do Estado de Minas Gerais, unidade de Carangola.

 


CARTA ABERTA À COMUNIDADE CARANGOLENSE SOBRE O RETORNO DAS AULAS PRESENCIAIS NAS ESCOLAS - 17 de junho de 2021.


A pandemia do Coronavírus (2019-nCoV) tem exposto o Brasil a uma crise não apenas sanitária e econômica, mas também social e política. Com a triste marca de mais de 491 mil óbitos, o país enfrenta um contexto de propagação de desinformação que expressa de forma ainda mais acentuada a centralidade da educação e da ciência na preservação da vida.

O projeto político orquestrado pelo Governo Federal de gestão da pandemia, que culminou na instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Senado Federal, tem sido marcado pelo desalinhamento com as evidências científicas que amparam o controle sanitário. As propostas anti-isolamento e antiuso de máscara se somam aos inúmeros entraves criados à vacinação em massa, o que têm prejudicado enormemente o enfrentamento à pandemia no Brasil.


A despeito da atual condição sanitária vivida no país, a Prefeitura de Carangola, em consonância com a decisão judicial do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), que havia estabelecido o retorno presencial das aulas nas escolas Estaduais, publicou por meio do Decreto Municipal nº 069, de 14 de junho de 2021, o retorno às aulas presenciais nos estabelecimentos de ensino da Educação Básica no município. Diante do exposto, nós, coletivo independente de professoras/es e profissionais da educação lotados/os na Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), unidade Carangola, viemos a público nos opor a este retorno, considerando a nossa condição de educadoras/es, pesquisadoras/es e cidadãs/os.


Além disso, expressamos também nossa preocupação e solidariedade com as/os educadoras/es, discentes e seus familiares que serão expostas/os a uma situação de insalubridade oriunda de ambiente de trabalho. Até o dia 16 de junho de 2021, Carangola apresentou 115 óbitos e 107 casos ativos de Covid-19, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde. Ademais, as taxas de ocupação nos leitos de UTI estão em 50% no Hospital Evangélico (HEC- 11 leitos) e 80% no Hospital Casa de Caridade (CCC- 08 leitos).


Ressalta-se que, dos 33.011 (trinta e três mil e onze) habitantes do município de Carangola (2020), apenas 25,77% (8.510) foram vacinadas/os até o momento com a primeira dose, e 14,52% (4.796) com a segunda dose, demostrando que a grande maioria da população local não foi vacinada e o processo de vacinação segue a passos lentos, em função da escassez de doses.


Para efeito de comparação, o estudo feito com a vacina CoronaVac na cidade de Serrana, no interior paulista, demonstrou que, com 75% da população vacinada com duas doses, a pandemia do novo coronavírus pode ser controlada. Tratam-se de 75% da população de uma cidade do tamanho de Carangola para controlar a pandemia. Hoje, como já mencionado, temos somente com 15% da população vacinada com duas doses, muito distante de uma situação confortável para a segurança de toda a população.


Além disso, entendemos que a adoção da assinatura do termo de responsabilidade por parte de pais e/ou responsáveis não pode eximir o poder público de suas responsabilidades para com o bem estar e a saúde da população carangolense. Não “obrigar” que pais e/ou responsáveis enviem seus filhos e filhas às escolas não altera o grau de responsabilidade que o poder público deve ter neste momento face à gravidade do quadro epidemiológico em nossa cidade.


Nesse sentido, a manutenção do trabalho remoto (home office), seja ele de profissionais lotados nas escolas públicas e/ou privadas do município, é fundamental para a segurança de toda a comunidade escolar, que envolve profissionais da educação, estudantes e familiares. Sabemos, com base em evidências científicas que, mesmo que sejam cumpridos todos os protocolos de segurança, não há garantia da não contaminação - sobretudo em ambientes fechados e, consequentemente, de óbitos, uma vez que profissionais da educação sequer terminaram de ser imunizadas/os e as crianças e adolescentes não serão vacinadas/os no presente momento.


Temos acompanhado o aumento dos casos, da contaminação local e das mortes por Covid-19 no município. A falta de aplicação de políticas preventivas conhecidamente efetivas, tais como a criação de barreiras sanitárias, a redução da circulação da população local, a fiscalização para evitar aglomerações e a falta de vacinas, têm agravado a crise epidemiológica e econômica.


É importante ressaltar que cada nova infecção não acarreta somente problemas de saúde ao indivíduo, mas possibilita que o vírus se multiplique, criando mais possibilidade de mutações e, consequentemente, surgimento de novas variantes, ainda mais letais. Nesse sentido, nós, membros do corpo docente da UEMG-Carangola que assinam esta carta, enxergamos com muita preocupação a decisão de retomada das aulas presenciais em Minas Gerais.


Temos observado o aumento das taxas de infecção nos municípios em que ocorreu essa decisão. Esperamos suscitar uma reflexão por parte do judiciário e das/os gestoras/es competentes no município de Carangola, que poderia, a exemplo de demais municípios, manter as atividades remotas a despeito da decisão em âmbito estadual. Reiteramos o papel da Educação, do poder Judiciário e da Ciência na ampla promoção e divulgação de conhecimentos confiáveis e necessários à proteção da vida neste momento. Ressaltamos a necessidade das ações tanto sanitárias como econômicas se basearem no conhecimento técnico-científico e serem guiadas aos grupos prioritários e às populações mais vulneráveis, tanto em condição socioeconômica como de acesso a saúde.


Manifestamos nosso posicionamento em defesa da vida de todas/os as/os cidadãs/os carangolenses e reforçamos a centralidade das medidas protetivas, tais como: isolamento social a todas/os que puderem, uso constante de máscaras ao saírem de casa, distanciamento social e higienização das mãos por meio da lavagem ou uso de álcool em gel.



Subscrevem esta carta: Grupo de Docentes/Pesquisadoras/es/Educadoras/es e Cientistas da Universidade do Estado de Minas Gerais – Unidade Carangola.

Prof. Dr. Alessandro Marques de Oliveira – Departamento de Ciências Biológicas (DCB)

Profa. MSc Ana Paula Gomes Soares Pereira – Professora no Departamento de Ciências Biológicas – DCB.

Profa. Dra. Andreia Magro Moraes – Doutora em Ecologia e Recursos Naturais - Departamento de Ciências Biológicas (DCB)

Prof. Dr. Emanuel Teixeira da Silva – Professor de Zoologia do Departamento de Ciências Biológicas - DCB.

Prof. Helton Oliveira Campos – Departamento de Ciências Biológicas - DCB.

Prof. Ivan Becari Viana – Professor no Departamento de Ciências Biológicas - DCB.

Prof. Dra. Kyvia Lugate Cardoso Costa- Professora do Departamento de Ciências BiológicasDCB.

Profa. Marciane da Silva Oliveira – Professora no Departamento de Ciências Biológicas – DCB.

Prof. Dr. Renan Nunes Costa – Professor de Ecologia e Conservação da Biodiversidade – Departamento de Ciências Biológicas - DCB.

Prof. MSc. Luciane da Silva Oliveira – Departamento de Ciências Exatas (DCE).

Professor Ms. Matheus Enrique da Cunha Pimenta Brasiel - Departamento de Ciências Exatas (DCE)

Prof. Sabrina Alves Boldrini Cabral – Departamento de Ciências Exatas (DCE). Prof. Me. Vinícius Campos de Oliveira – Departamento de Ciências Exatas (DCE)

Profa. Ms. Amanda Cristine Corrêa Lopes Bitencourt – Departamento de Educação, Linguística e Letras (DELL)

Profa. MSc. Andressa Christine Oliveira da Silva – Departamento de Educação, Linguística e Letras (DELL)

Profa. Dra. Christiane Miranda Buthers de Almeida – Professora no Curso de Letras - Departamento de Educação, Linguística e Letras – DELL

Prof. Dr. Custódio Jovêncio Barbosa Filho - Departamento de Educação, Linguística e Letras – DELL

Prof. MSc. Diego Gonzaga Duarte da Silva – Departamento de Educação, Linguística e Letras – DELL

Profª. Fernanda Bevilaqua Costa – Curso de Pedagogia – Professora no Departamento de Educação, Linguística e Letras – DELL

Prof. MSc. Guilherme Celestino Souza Santos – Departamento de Educação Linguística e Letras (DELL).

Prof. Jairo Barduni Filho – Doutor em Educação - Professor no Departamento de Educação, Línguistica e Letras – DELL.

Prof. Dr. Josué Borges de Araújo Godinho – Professor de Literatura e Teoria da Literatura – Departamento de Educação, Linguística e Letras – DELL.

Profa MSc. Laís Patrocino – Doutoranda em saúde coletiva Fiocruz MG - Departamento de Educação, Linguística e Letras – DELL

Prof. Dr. Lucas Piter Alves Costa - Departamento de Educação, Linguística e Letras (DELL)

Profa. Lucimeire Aleixo Bard – Departamento de Educação, Linguística e Letras (DELL)

Profª Drª Magda Dezotti – Curso de Pedagogia - Departamento de Educação, Linguística e Letras – DELL

Profa. Dra. Paloma Rezende de Oliveira - Departamento de Educação, Linguística e Letras - DELL

Profa. Dra. Patricia Rosania de Sá Moura – Departamento de Educação, Linguística e Letras (DELL)

Prof. Me. Rafael Almeida de Freitas – Departamento de Ciências Exatas (DCE) e Departamento de Educação, Linguística e Letras (DELL)

Prof. MSc. Ramon Mendes da Costa Magalhães - Mestre em Educação- Departamento de Educação, Linguística e Letras – DELL

Profa. Me. Ana Paula Silva Santana - Departamento de Ciências Humanas – DCH

Prof. Dr. André da Silva Ramos – Professor do curso de História – Departamento de Ciências Humanas.

Profa. MSc. Danielle Faria Peixoto – Curso de Geografia – Departamento de Ciências Humanas (DCH)

Profa. Drª. Profa. Dra. Érika Oliveira Amorim Tannus Cheim - Departamento de Ciências Humanas (DCH)

Prof. MSc. Gabriel Romagnose Fortunato de Freitas Monteiro – Doutorando em Geografia Humana - Professor de Geografia Humana – Departamento de Ciências Humanas – DCH.

Prof. Dr. Glauber Miranda Florindo – Departamento de Ciências Humanas - DCH Prof. Dr. Jonathan Mendes Gomes - Departamento de Ciências Humanas (DCH).

Profa. Dra. Keila Cássia Santos Araújo Lopes – Professora de Geografia Socioambiental – Departamento de Ciências Humanas (DCH) - Chefe do Departamento de Ciências Sociais Aplicadas (DCSA).

Profa. Dra. Mariana Soares Domingues -Professora de Geografia Física – Departamento de Ciências Humanas – DCH.

Prof. Dr. Mauro Franco Neto – Departamento de Ciências Humanas (DCH).

Prof. Dr. Murilo Vogt Rossi – Departamento de Ciências Humanas (DCH).

Profa. MSc. Thayana Caus Wanderley – Professora de Geografia Física - Departamento de Ciências Humanas – DCH.

Profa. Drª. Wilma Guedes de Lucena – Curso de Geografia – Departamento de Ciências Humanas (DCH).

Prof. Me. Marcio Augusto Magalhães Ferreira Lanna - Departamento de Ciências Sociais Aplicadas (DCSA)

Profa. MSc. Elisângela Freitas da Silva - Departamento de Ciências Sociais Aplicadas (DCSA)

Profa. Milena Beatriz Silva Loubach – Departamento de Ciências Sociais Aplicadas (DCSA)

Profa. Me. Millene Millen - Departamento de Ciências Sociais Aplicadas (DCSA)

Prof. Dr. Ronan Leandro Zampier – Professor de Administração e Economia – Departamento de Ciências Sociais Aplicadas (DCSA).

Prof. Warllon de Souza Barcellos - Departamento de Ciências Sociais Aplicadas (DCSA) ADUEMG (Associação dos Docentes da UEMG), seção sindical do ANDES-Sindicato Nacional.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »