19/05/2021 às 13h57min - Atualizada em 19/05/2021 às 13h57min

Recuperação total de lavoura em Divino (MG) com o ATeG

Assistência Técnica Gerencial

“Se não fosse o Sistema FAEMG, tenho certeza de que não teríamos mais nossa propriedade”. O relato é da cafeicultora Viviane Cunha se mudou de Belo Horizonte para Divino há quatro anos. Atualmente ela, a mãe Alúcia Souza e Jucimara Araújo produzem, com qualidade, o café Estrela das Matas, mas não foi sempre assim.

 

O êxito na atividade começou a partir do ingresso no programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) Café, do Sistema FAEMG/SENAR/INAES. Antes a produtora acumulava prejuízos. Viviane que já havia investido, sem sucesso, na cadeia leiteira, temia pela inviabilidade dos trabalhos com o café.



A assistência da técnica de campo, Sandy Espinoso, chegou em 2019 quando Viviane buscava alternativas para salvar cerca de 25 mil pés de café que estavam se desenvolvendo de maneira precária. O ATeG garantiu a recuperação total da lavoura e renovou as esperanças da cafeicultora.


“O meu maior objetivo era que a lavoura não morresse. Estávamos em um momento de desespero porque fizemos muitos investimentos malsucedidos pela falta de experiência e conhecimento. Em tão pouco tempo a lavoura não só sobreviveu, como está linda”, comentou.


 

A técnica Sandy explica que os erros no plantio aumentam o custo de formação da lavoura, e por isso, é importante ter acompanhamento profissional. E destaca que o empenho e comprometimento da produtora foram essenciais para o resultado alcançado.


“Quando começamos, a lavoura tinha seis meses e estava totalmente depauperada, desnutrida, com crescimento baixo. Hoje temos plantas totalmente sadias. Conseguimos recuperá-la totalmente mantendo a perspectiva de safra que deve chegar a 200 sacas, em toda a propriedade”.


Com as melhorias, a cafeicultora agora pretende expandir o negócio com o plantio de mais 22 mil pés de café. “O ATeG é um divisor de águas na nossa vida, é um programa completo que nos torna capazes de crescer. Hoje me considero realmente uma produtora rural. Meu objetivo em relação ao café também mudou. Não quero só ter lucro. Quero um café de qualidade, sustentável, que traga prazer para quem o saborear”.



Mobilização


Viviane atua desde 2017 como mobilizadora do Sindicato dos Produtores Rurais de Divino e destaca a importância da entidade para o desenvolvimento dos produtores locais. “É o Sindicato que garante a realização do ATeG e de todos os treinamentos realizados em parceria com o SENAR. Essas conquistas só são possíveis porque ele existe”.


Fonte: Assessoria de Comunicação Senar Minas


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »