20/04/2021 às 13h59min - Atualizada em 20/04/2021 às 13h59min

Prefeitura de Caparaó alerta para surto de doença canina ainda não identificada

Alerta para os pets

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Serviço de Vigilância Ambiental e Epidemiológica, alerta aos tutores de pets que foi verificado surto de doença canina, ainda não identificada, em todo o território do Município de Caparaó.

 
Após várias denúncias de moradores relatando cães em situação de sofrimento (na maioria dos casos, vindo a óbito), a Secretaria de Saúde resolveu investigar as prováveis causas desse problema.

 
Inicialmente, cogitou-se que os animais estavam sendo vítimas de envenenamento; porém, com a evolução dos sintomas e após observar as peculiaridades de cada caso, o médico-veterinário colaborador levantou a hipótese – já confirmada – de surto de doença canina, ainda sob investigação.

 
De acordo com a análise preliminar do material colhido, trata-se provavelmente de cinomose ou de parvovirose, doenças infecciosas com alto risco de transmissão entre caninos.

 

Os sintomas caracteríscos da parvovirose são diarreia sanguinolenta, vômito, anorexia e apatia. Já a cinomose se caracteriza pela debilitação do sistema nervoso, causando perda gradual do equilíbrio e da locomoção. Além disso, podem ser verificados outros sintomas, como perda de apetite, tosse seca e corrimento nos olhos e no focinho.
 

É importante ressaltar que não há risco de transmissão de nenhuma dessas doenças aos seres humanos. Todavia, embora a cinomose não seja transmissível a outros animais domésticos (tais como gatos, aves e roedores), os felinos podem ser portadores do Parvovírus Canino e contrair uma doença chamada panleucopenia felina, igualmente perigosa à vida do animal.

 
Como medida preliminar, a Secretaria de Saúde ordenou que seja intensificada a pulverização das ruas com solução de água sanitária e, na segunda-feira, entrará em contato com o Centro de Zoonoses do Estado de Minas Gerais para mais informações sobre como proceder diante do surto.

 
Portanto, é extremamente importante que você, tutor de pet, mantenha o seu amigo em casa até que as autoridades sanitárias informem a melhora na situação epidemiológica. Caso perceba algum sintoma ou comportamento incomum no animal, a orientação é procurar um médico-veterinário.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »