27/01/2021 às 19h39min - Atualizada em 27/01/2021 às 19h39min

Mais 164 animais silvestres ganham a liberdade na região do Caparaó

Devolvidos à natureza

Uma parceria entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmam), o Centro de Reintrodução de Animais Selvagens (Cereais), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) e a Polícia Militar Ambiental do Caparaó, proporcionou a soltura de 164 (cento e sessenta e quatro) animais silvestres que foram devolvidos à natureza. 


Os animais oriundos do Centro de Reintrodução de Animais Selvagens (Cereias) em Aracruz, chegaram e foram levados até um viveiro de aclimatação, onde foram alimentados e observados, avaliando o possível stress da viagem, sendo levados a uma mata fechada na área do Parque Ênio Fazolo dos Reis em Guaçuí, quando foram soltos na manhã desta quarta-feira (27).


Entre os animais silvestres soltos estavam trinca-ferros, canários, coleiros, bigodinhos, tico-ticos, sanhaços, melros, jandaias-estrela, periquitão-maracanã, jacupembas, tiê-sangue e papagaios-chauá, este último na lista de risco de extinção. Todos os animais estavam devidamente marcados por anilhas. Sobre todos os animais recolhidos consta um registro das informações, incluindo quantidade e sexo, além da produção de um registro fotográfico, filmagem que serão utilizados nas atividades de educação ambiental realizada pela Semmam.


De acordo com o coordenador do Cereias, cerca de 95% dos animais recepcionados pelo centro são provenientes das ações de recolhimento/apreensão dos órgãos de defesa do Meio Ambiente em várias partes do Estado, incluindo a região do Caparaó.


Os animais encaminhados ao Cereias passam por uma rigorosa avaliação veterinária, são medicados, tratados e, após recuperação, passam por uma nova avaliação com o biólogo José da Penha, que vai dizer se estão aptos ou não para a reintrodução na natureza. De acordo com o secretário Roberto Martins, "a soltura de animais de volta à natureza tem como objetivo a proteção da fauna silvestre que tem sido ameaçada, principalmente, pelo desmatamento, queimadas, ocupação desordenada do solo, caça ilegal e tráfico de animais silvestres. Assim, o trabalho de educação ambiental é indispensável juntamente com outras ações preventivas", informou.


Nos últimos cinco anos, esse projeto de parceria entre a Semmam e o Cereais, devolveu à natureza na região do Caparaó, 535 animais silvestres.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »