06/10/2020 às 15h21min - Atualizada em 06/10/2020 às 15h21min

Polo de fruticultura do Caparaó Capixaba receberá R$ 730 mil

Recursos da Agricultura

Jornal Fato

O Ministério da Agricultura liberou R$ 730 mil, de R$ 4 milhões previstos, para o desenvolvimento do Polo de Fruticultura na região do Caparaó Capixaba, no Sul do Estado do ES. O projeto é coordenado pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), com a premissa de contribuir para o desenvolvimento agrícola da região na área de fruticultura, uma vez que a atividade local está concentrada na agricultura familiar e tem pouca diversidade - café e pecuária são as principais práticas agrícolas.



Além disso, o projeto vai beneficiar o pequeno produtor e gerar empregos tanto no campo - com as atividades de plantio e colheita - quanto nas áreas urbanas - com a comercialização e industrialização dos produtos.



O extrato do pagamento liberado pelo Governo foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (06). A liberação do recurso é resultado do trabalho de articulação política da senadora Rose de Freitas, iniciado em 2017, em Brasília - relembre a atuação de Rose nos links abaixo.



Ao todo, serão beneficiados agricultores familiares de 11 municípios do Caparaó: Divino de São Lourenço, Alegre, Guaçuí, Ibitirama, Iúna, Jerônimo Monteiro, Dores do Rio Preto, Ibatiba, Irupi, Muniz Freire e São José do Calçado.



Cronograma - Pelo cronograma do projeto, serão necessários três anos para execução. O aporte financeiro também será dividido em três etapas. Na primeira, será feito um diagnóstico de aptidão da região do Caparaó para a fruticultura e a criação de uma unidade demonstrativa no Centro de Ciências Agrárias e Engenharias (CCAE) da Ufes. Na segunda, a criação de cursos para treinamento de agricultores e técnicos das prefeituras. E, na terceira, a criação de um núcleo de assistência técnica para orientar os agricultores.



Estado - Segundo a Ufes, o agronegócio da fruticultura tem se destacado no Estado, respondendo por 18% do valor bruto da produção agropecuária, em torno de 1,3 milhão de toneladas ao ano e faturamento de R$ 600 milhões em renda. "Além das condições favoráveis de clima e de solo para a produção de grande diversidade de frutas de clima tropical, subtropical e temperado, o Espírito Santo possui uma localização geográfica privilegiada, com excelente malha viária e complexo portuário, permitindo o melhor escoamento da produção", diz a Ufes no projeto.



Trabalho - O trabalho da senadora Rose para que o Polo de Fruticultura no Caparaó se tornasse realidade começou em 2017. Foram diversas reuniões no Ministério da Agricultura, em Brasília, além da visita de ministros no Estado, a convite da parlamentar, para tratar deste e outros assuntos relacionados à agricultura capixaba. A assinatura do convênio ocorreu em março de 2018 pelo ex-ministro da Agricultura Blairo Maggi, na sede da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), em Vitória.


Ramon Barros 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »