08/06/2020 às 18h31min - Atualizada em 08/06/2020 às 18h31min

Junho deve ser marcado por baixas temperaturas

Frio chegando

O mês de junho deve ser marcado pelo friozinho em toda a região do Caparaó. É o que prevê a Coordenação de Meteorologia do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper). A previsão indica ainda que as chuvas devem seguir o padrão normal esperado para o mês.


“O mês de junho marca a transição entre as estações do outono e do inverno no Hemisfério Sul. Além disso, é o primeiro mês do trimestre mais frio e seco do ano, de acordo com a climatologia”, disse o coordenador de Meteorologia do Incaper, Hugo Ramos.


A previsão climática, segundo o coordenador, apenas aponta as tendências para um determinado período, focando na qualidade do regime de chuva e nas anomalias de temperatura. Eventos extremos de chuva, vento, frio ou calor só podem ser previstos com alguns dias de antecedência ou, dependendo de sua intensidade/deslocamento, poucas horas ou minutos.


 

Temperaturas


Nos trechos mais altos do Caparaó, situados próximos à divisa com Minas Gerais, as temperaturas oscilam entre 14 °C e 20 °C.  podendo variar entre 10 °C e 14°C nas localidades mais elevadas. 


Inverno

O inverno no Hemisfério Sul começa no dia 20 de junho, às 18h43. Segundo a Coordenação de Meteorologia do Incaper, na região do Caparaó, os meses que compreendem o período do inverno são os mais secos e frios do ano. O principal sistema meteorológico de atuação são as frentes frias, acompanhadas de massas de ar polar mais intensas que nas demais épocas do ano. Quando passam, essas massas de ar provocam a diminuição das temperaturas.

Outras características comuns desta época são as inversões térmicas e a ocorrência de nevoeiros que costumam diminuir a visibilidade. Além disso, nos dias menos frios, ocorre um aumento da amplitude térmica (diferença entre a temperatura máxima e mínima em um dia), e os índices de umidade relativa do ar atingem valores abaixo dos 30 %, causando prejuízos na saúde humana e a vegetação fica vulnerável a incêndios.

Para mais informações, acesse: meteorologia.incaper.es.gov.br


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »