24/03/2020 às 13h36min - Atualizada em 24/03/2020 às 13h36min

Contas da Cemig e Copasa poderão ser parceladas sem multas e juros

Medidas do governo

G1.com

Medida é uma das adotadas pelo estado para o enfrentamento do novo coronavírus.


O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), anunciou nesta segunda-feira (23) que conseguiu que clientes com tarifa social nas contas de energia e de água não tenham o fornecimento cortado por inadimplência. A medida é uma das anunciadas para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. 

Zema explicou que conseguiu, com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e com a Companhia de Saneamento (Copasa) que clientes inadimplentes, desde que incluídos na categoria de tarifa social, possam dividir suas dívidas em até seis meses, sem juros.

 

Conta de água e saneamento

 

Aqueles clientes da Copasa que já receberam o comunicado de desligamento entre 20 de fevereiro e 20 de março não terão o fornecimento suspenso e poderão pagar sua dívida até 20 de abril. Já as contas que vencem até abril poderão ser pagas, também sem juros e multa, até o dia 20 de maio.

 

Conta de energia

 

A mesma medida de não cortar o fornecimento de clientes da tarifa social inadimplentes também foi adotada pela Cemig. Além disso, as contas em atraso poderão ser pagas em parcelamento em até seis vezes.

O parcelamento de contas da Cemig também vale para hospitais públicos, filantrópicos e ainda micro-empresas.

Para as cidades que são abastecidas por outras operadoras de energia, o governador pediu que tais empresas tomem a mesma medida da Cemig.

 

Gás

 

Romeu Zema detalhou ainda que a Companhia de Gás de Minas Gerais vai dar 5% de desconto para clientes do gás industrial e 5,9% para clientes de gás veicular, como taxistas e motoristas por aplicativo. O governador acredita que a medida possa dar um alívio nas despesas desses profissionais.

 

R$ 50 milhões para a saúde

 

O governador ainda anunciou que determinou o deslocamento de R$ 50 milhões do orçamento do estado para a Secretaria de Saúde. A intenção é que a pasta possa fazer uma reestruturação de leitos e, caso a crise sanitária provocada pelo Covid-19 se agrave, o estado terá mais condições de acolher os doentes.

O dinheiro também deverá ser usado para compra de equipamentos.

 

Ajuda de empresários

 

O governador disse ainda que empresários já anunciaram doação de dinheiro para o estado combater o avanço da doença e tratar os doentes. Segundo Zema, o pedido para esses empresários é que eles comprem equipamentos que possam ser usados, já que a compra pelo governo é feita de forma mais burocrática.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »